quarta-feira, 14 de abril de 2010

IGREJA APOSTÓLICA E IGREJA PÓS-APOSTÓLICA – EM QUAL IGREJA ESTAMOS?

Oscar Cullman divide a Igreja em Igreja apostólica e igreja pós-apostólica, a primeira é aquela que pertence ao momento construtivo (ou da fundação) da história da salvação, ao passo que a segunda é aquela que pertence ao momento da ampliação, ou desenvolvimento quantitativo.

1. Igreja apostólica – A igreja apostólica sofre um desenvolvimento qualitativo, sobretudo na construção da Tradição, que é constituída sob a assistência extraordinária do Espírito Santo e por isso tem valor normativo para qualquer outra tradição futura. Com efeito, o apostolado é uma função que não, poder ser prolongada. Segundo Atos 1.22 o apóstolo é testemunha única, direta da ressurreição, e recebeu uma ordem direta do Cristo encarnado ou ressuscitado. Ele é como aquele que o enviou. Ele não pode transmitir a outros a sua missão absolutamente única. Depois de tê-la cumprido ele deve restituí-la àquele que lha confiou: Cristo. Somente os apóstolos do NT desenvolveram as mesmas funções de Cristo. Eis porque o NT usa as mesmas imagens para os apóstolos usadas também para Cristo: pedra, fundamentos e colunas. Tais imagens nunca servem para designar o bispo. Os apóstolos instituíram bispos e não outros apóstolos, pois não podem legar a outros suas próprias funções, que não podem ser renovadas. Os bispos sucedem os apóstolos, mas não enquanto apóstolos e sim enquanto bispos. O que significa que o apostolado não pertence ao tempo da Igreja, mas ao tempo da encarnação de Cristo. O apostolado consiste em dar testemunho de Cristo. É certo que a Igreja hoje também testemunha de Cristo, mas não se presta ao testemunho direto que caracteriza o testemunho dos apóstolos. O seu testemunho é um testemunho derivado, já que não repousa mais na revelação direta, que foi privilégio do apóstolo-testemunha ocular.

2. Igreja pós-apostólica – A Igreja pós-apostólica desenvolveu a origem eclesiástica e não tem valor normativo para as tradições sucessivas. Neste momento a história da salvação continuada pela igreja tem apenas um desenvolvimento quantitativo. Toda norma desta igreja pós-apostólica é constituída a partir da igreja apostólica, mas o magistério eclesiástico, não pode normatizar além da norma apostólica, haja visto, que não existe, segundo Cullman, magistério eclesiástico com privilégio da infalibilidade. O instrumento pela qual a Igreja pós-apostólica pode certificar-se de sua fidelidade à tradição apostólica e ao kerygma original é a palavra dos apóstolos. “O apóstolo não pode ter sucessores que exerçam o papel de reveladores em seu lugar, mas sim deve continuar ele mesmo cumprir essa função na igreja presente: na Igreja, não através da Igreja, mas através da própria palavra dia tou logou (Jo 17.20), ou seja, através dos seus escritos.

2 comentários:

  1. por que ate nossas igrejas batsta nacionais inventaram esse titulo de apostolo, sera que sentem mais poderosos, mais perto de Deus?
    ou subiu mais um degrau na hierarquia eclesiastica, vai saber ne!rsrs, qual sera o proximo titulo/? minha oraçao e que Deus de um espirito de humildade, altruismo,a nossas lideranças, que Deu tenham misericordia de nossa querida convençao

    ResponderExcluir
  2. A Igreja Romana inventou uma tradição posapostolica como se fosse um suplemento a Tradição apostolica registrada nas Escrituras.

    ResponderExcluir